Hai Phong

Hai Phong – Lar longe de casa

Em memória de Pham Quốc Chinh – 1949 – 2012
Como começar um post sobre Hai Phong? Eu acho que tudo começou há cerca de 3 anos em São Paulo. O  Joel e eu estávamos trabalhando em um albergue e conhecemos o Jimmy. Nós nos tornamos amigos imediatamente. Jimmy é um cara incrível. Seus pais são vietnamitas, mas ele nasceu nos EUA. Ele é ótimo com línguas e é o tipo de pessoa que está sempre pronta para ajudar todo mundo. Ele morava e trabalhava no albergue também. Quando deixamos o albergue, ele veio ficar conosco na casa de praia, em Itanhaém. Nós nos divertimos à beça e compartilhamos momentos incríveis, boa comida, um nascer do sol. Ele conheceu a minha família e se tornou nosso irmão. Todos nós sentimos saudade dele e depois que ele foi embora, nós não nos reencontramos por anos. Quando decidimos ir para o Vietnã, demos um toque para ele pois sabíamos que ele tinha família lá. Para nossa surpresa, ele também estava planejando ir para o Vietnã por volta da mesma data. Poucas semanas antes de partir descobrimos que chegaríamos a Hanói com apenas uma hora de intervalo entre os nossos voos. Nossas malas estavam lado a lado e ouvimos alguém gritando nossos nomes. Lá estava Jimmy com seu pai, a caminho de Hai Phong. Que felicidade tê-lo encontrado lá e por ter podido ajudá-lo com todas as suas malas. Pegamos o número do celular do irmão dele para manter contato. Daí, quando decidimos que era hora de deixar Hanói, ligamos para ele e fomos para Hai Phong. Queríamos ficar em um hotel, mas a família dele não quis deixar. Eles nos ofereceram um quarto e fomos acolhidos por uma família que a gente nem sabia que tinha. Foi uma experiência inesquecível, do tipo que queríamos tanto ter.

Pegamos um trem na estação de trem Long Bien ($ 3) e depois de algumas horas chegamos lá. Seu tio prontamente pegou minha mochila e me levou para a casa de um amigo da família, o que no Vietnã significa família. Nos demos conta de que o termo família tem um significado mais abrangente no Vietnã. Fomos recebidos pelo tio Bich tio e tia Thoa. Eles cuidaram tão bem da gente! O Vietnã me lembrou muito do Brasil e esta experiência de família apenas comprovou o quanto esses dois lugares extremamente diferentes são tão parecidos mesmo sendo tão longe um do outro. Eles nos trataram como parte da família. Mais sorte do que isso, impossível. O que aconteceu nos próximos dias superou as nossas expectativas e foi uma experiência verdadeiramente vietnamita, o que todo e qualquer viajante procura. Era logo depois do Ano Novo Chinês e as celebrações ainda continuavam. A família era budista e as orações, oferendas e queimas prosseguiam. Eles colocaram uma esteira de bambu bem grande no chão da sala e posicionaram cuidadosamente vários pratos de comida com incenso e começaram a entoar cânticos. Foi uma experiência mágica de outro mundo. Assim que o incenso queima-se por completo, o que significa que a refeição é servida aos antepassados no plano espiritual, a festa começa. Mas somente após a queima de vários objetos fictícios que também se elevam aos céus com sua fumaça. É assim que eles enviam aos seus familiares falecidos todas as coisas de que eles necessitam no além, incluindo dinheiro falso, carros, casas, roupas etc. Em troca, eles cuidam de você.

Foram servidos arroz, frango cozido, bánh trung thu (ou torta da lua), batata cozida e frita, caracóis, ovos e muito mais. A comida estava deliciosa e eles continuaram oferecendo-nos mais e mais. No Vietnã é considerado muito respeitoso escolher um bom pedaço de carne, frango ou outro alimento na mesa e colocá-lo no prato de alguém. Eles continuavam adicionando comida aos nossos pratos e nós aprendemos a fazer o mesmo.

Eles nos paparicaram demais. Cervejas no café da manhã, chá de gengibre, e qualquer outra coisa que  ousávamos mencionar que nos agradava, estava disponível dentro de minutos. Eles também nos fizeram experimentar algo que é difícil de descrever, mas acho que todos deveriam provar: Trứng vịt lộn, ou seja, ovo de pato fecundado. É um ovo de pato cozido ao vapor, com o feto já formado dentro. Neste caso, descascado e servido em uma tigela com sal, pimenta e gengibre ralado como acompanhamento. O sabor é amargo, mas combina muito bem com o sal, a pimenta e o gengibre. Se você é uma pessoa que tem dificuldade em comer alimentos que não são atraentes visualmente ,  terá que fazer um esforço danado para comer um ovo de pato fecundado, mas eu recomendo que você experimente. Eles nunca deixaram-nos pagar nenhuma conta ou comprar o que quer que fosse para levar para casa. Fomos tratados como família. Eles foram muito pacientes conosco e nos ensinaram um pouco de vietnamita. Levaram-nos para vários templos e ficaram muito contentes em nos explicar tudo o que queríamos saber sobre a cultura, história e tudo mais. Uma das tias do nosso amigo convidou-nos para ir a um restaurante uma noite. Eles reservaram uma sala separada e mais membros da família se juntaram a nós. Comemos frango frito e milho, sopa, legumes, tanta comida! Tomamos doses de Rượu cần, ou “vinho de arroz” – que na verdade é mais parecido com vodka. No final, falamos para o nosso amigo dar uma escapadinha e pagar a conta. A tia descobriu o que estávamos fazendo quando ela foi lá fora, para pagar. Ela deu o dinheiro de volta para o Jimmy, e não aceitou um não como resposta. Eles ignoraram todas as nossas explicações sobre por que ficaríamos muito felizes em pagar a conta pelo menos uma vez, mas a resposta era sempre “impossível”. Eles trabalharam duro para serem capazes de bancar este tipo de situação, disseram. Família cuida da família. Nunca pensamos que poderíamos encontrar membros de uma  família que nem sabíamos que tínhamos no exterior. Mas é isso o que acontece quando você viaja. E sentimo-nos sortudos e felizes por ter encontrado pessoas tão incríveis.

Hai Phong – Home away from home

In memory of Phạm Quốc Chính – 1949 – 2012

How to start a post about Hai Phong? I guess it all started about 3 years ago in São Paulo, Brazil. Joel and I were working at a hostel there and we met Jimmy. We became friends right away. Jimmy is an awesome dude. His parents are Vietnamese, but he was born in the US. He is really good with languages and is the kind of person who is always ready to help everyone. He was living and working at the hostel as well. When we quit, he came to stay with us at the beach house, in Itanhaém. We had a blast there and shared good times, good food, a sunrise. He got to know my family and became our brother. We all missed him when he left and we didn’t meet again for years. When we decided to go to Viet Nam, we hit him up because we knew he had family there. To our surprise, he was also planning to go to Viet Nam around the same time and a few weeks before we left we found out we were getting to Hanoi only an hour apart. Our bags were right next to each other at the baggage pick up and we heard someone shouting our names. He was there with his father, on his way to Hai Phong and we were so glad to have met him there and being able to help him out with all of his bags. We got his brother’s phone number and kept in touch. So when we decided it was time to leave Hanoi, we let him know and went to Hai Phong to see him. We were going to stay at a hotel, but his family wouldn’t let us. They offered us a room in their house and we found ourselves being welcomed into a family we didn’t know we had. It was an unforgettable experience, the one we were hoping to have.

We got a train from the Long Bien train station ($3) and after a few hours we were there.  His uncle promptly picked up my bag and took me to a friend of the family’s house, which in Vietnam means family. We got to realize that family had a bigger meaning in Vietnam. We were welcomed by uncle Bich and aunt Thoa. They took such good care of us! Vietnam reminded me a lot of Brazil and this family experience did nothing but prove how these two extremely different places are so close even being so far away. They treated us as part of their family. We couldn’t feel any luckier. What happened in the next days exceeded our expectations and was a truly Vietnamese experience, the type of thing any traveler seeks. It was right after the Chinese New Year and celebrations were still going on.  It was a Buddhist household and there were prayers, offers and burnings going on. They laid down a big bamboo mat on the living room floor and placed several plates of food with incense and started chanting. It was a magic out-of-this-world experience. Once the incense burns out, which means the meal is served to your ancestors in the afterlife, the feast begins. But not before the burning of several mock objects that also rise to the skies with their smoke. That’s how they send their deceased family members all the things they would need in the spiritual world, including fake money, cars, houses, clothes. In return, they watch over you.

There was rice, boiled chicken, moon cakes, potatoes, snails, eggs and much more.  The food was delicious and they kept on offering us more and more. In Vietnam it is considered very respectful to choose a nice piece of chicken, beef or another food on the table and put it on someone else’s plate. They kept on adding things to our plate and we learned to do the same.

They took amazing care of us. Beers for breakfast, ginger tea and anything we would mention we liked would be available within minutes. They also had us experience something that is hard to describe, but something that I think everyone should try: Trứng vịt lộn, meaning fertilized duck egg.  It’s a fertilized duck embryo that is boiled in the shell, and in this case, peeled and served in a bowl with a side of salt, chilies and grated ginger.  The taste is bitter but mixes so well with the chili, salt and ginger. If you are a person that has trouble eating food that isn’t visually appealing, you will have to work hard to eat a fertilized duck egg, but I recommend that you do. They never let us pay any bills or buy anything to bring home. We were treated like family. They were really patient with us and taught us some Vietnamese. They took us to several temples and were excited to explain whatever it is we wanted to know more about. One of our friend’s aunts invited us to a restaurant one night. They reserved a separate room and more family members joined us. We had fried chicken and corn, soup, vegetables, so much food!!! We did shots of Rượu cần, or “rice wine” – which is actually more like vodka. Towards the end, we told our friend to sneak out and pay the bill. His aunt found out what we were up to when she went out there to pay and gave him the money back. She wouldn’t take no for an answer. They ignored our explanations on why it would make us really happy to pay the bill at least once, but the answer was always “impossible”. They worked hard to be able to afford this kind of situation, they said. Family takes care of family.  We would have never thought we could meet family members we didn’t know we had overseas. But that’s what happens when you travel.  And we feel lucky and happy to have met such amazing people.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: